quarta-feira, 10 de outubro de 2007

INICIO DA CONSTRUÇAO DA VILA PLANALTO

A Vila Planalto resistiu ao crescimento da cidade: na década de 70 (no alto), as ruas de terra eram características. Nos anos 80 (E), as casas de madeira ainda eram maioria. Em 1995, o asfalto e a alvenaria dominaram a paisagem

A Vila Planalto surgiu da instalação dos acampamentos das várias construtoras que se instalaram na cidade para a construção do plano piloto de Brasília de Lúcio Costa. A Rabelo e a Pacheco Fernandes foram as primeiras firmas a se instalarem, ainda em 1956, para construírem, respectivamente, o Palácio da Alvorada e o Brasília Palace Hotel. Com o final dessas obras, em 1957/1958, seus acampamentos foram transferidos para o local conhecido, hoje, como Vila Planalto, para a construção do Eixo Monumental e da Praça dos Três Poderes. Com o início das obras na Praça dos Três Poderes e na Esplanada dos Ministérios, a NOVACAP permitiu que outras construtoras erguessem, simultaneamente, seus acampamentos em locais próximos aos já existentes.Em 1958, já estavam construídos, aproximadamente, vinte e dois acampamentos ao redor do conjunto das obras, prioritárias para da cidade. Nessa época, a Vila Planalto ocupava uma área que extrapola em muito a atual. O conjunto se estendia desde o local, agora ocupado pelos Anexos dos Ministérios, Senado Federal, Palácio do Planalto, Setores de Embaixadas e Clubes Norte, indo até perto do Palácio da Alvorada. O Lago Paranoá cobriu parte de alguns desses acampamentos.Além dos acampamentos da Rabelo e da Pacheco Fernandes já citados, contribuíram para a formação da Vila Planalto os acampamentos dos Mineiros, do Tamboril e das seguintes companhias: Adil, Atlas, Consispa, CVB, DFL, DTUI, EBE, Ecisa, Emulpress, ESOL, Nacional, Pederneiras, Planalto, Telebrás, WSK, entre outras. Os anexos Mocó, Maracujá e Dó-ré-mi também tiveram sua origem nos primeiros tempos da Vila, cujos moradores eram trabalhadores de algumas dessas firmas, além de acampamentos de outras áreas como Torto, Bragueto, Paranoá, Saturnino Brito, etc.A Vila, hoje, é constituída por remanescentes de seis acampamentos: Rabelo, Pacheco Fernandes, DFL, Tamboril, Emulpress, EBE e pelos remanescentes do Acampamento da Nacional. É o núcleo urbano mais íntegro e característico dos remanescentes da época da construção de Brasília e de reconhecido valor histórico no processo de ocupação do território do Distrito Federal e, por isso, tombado em 1988. A história da Escola da Vila Planalto se confunde com a história da construção da nossa capital. A escola foi criada para proporcionar educação de qualidade aos filhos dos operários que trabalhavam e residiam nos acompanhamentos.Inicialmente, era uma escola pequena, construída de madeira, paralela à capela de Nossa Senhora do Rosário e que oferecia ensino de 1ª a 6ª séries do Ensino Fundamental I, antigo 1º grau

2 comentários:

Viviane disse...

Muito interessante seu artigo. Gostaria de saber a area e populacao atual da Vila Planalto?

tolentino esilva disse...

Boa tarde Lucas,
Ainda guardo muitas lembranças da Capital Federal, principalmente dos amigos. Hoje, aqui distante, amargo a tristeza de ver a imagem de uma cidade que nasceu para ser exemplo de justiça, de ordem e progresso, apesar da sua importância, da belíssima arquitetura de Oscar Niemeyer e do povo trabalhador que ela habita, mergulhada em escândalos de corrupção e incompetência administrativa, o que resulta no empobrecimento da cultura e das classes sociais, vítimas do descaso e da imoralidade política. Morei no acampamento da Cia Construtora Nacional de 1963 a 1977. Estudei na escola de mesmo nome, na Escola Classe do Planalto nº 1 (acampamento da Tamboril), no (Colégio da Asa Norte-CAN). Toquei numa Banda com Ely (do Rosalvo), Luiz Carlos (rio-grandense) e Manoel. Joguei bola nos campos da Rabello, Nacional e Pederneiras, com Raspinha, Jacaré, Pelé e outros. Formei dois times na Nacional (Continental FC e Santa Cruz FC). Trabalhei na construção do Ministério da Justiça (Praça dos Três Poderes), na recuperação do Ministério da Agricultura quando o mesmo sofreu um incêndio), na construção do prédio do antigo DNER/GEIPOT (SAN), construção do prédio CEF (SAS), do Banco Central do Brasil, dos anexos dos Ministérios das Comunicações e MEC e TCB. Como funcionário público: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (no SHS, SAS, Cruzeiro, Asa Norte, SQS 212/412, 104/304, Ed. Sede da ECT. Transferido para o Ministério das Comunicações, trabalhei até 2006.Pedi transferência para Belo Horizonte.
Parabéns pelo maravilhoso trabalho
Tolentino e Silva
19/05/2017

P.S – Estou fazendo um trabalho sobre alguns acontecimentos a partir da década de 60. Como subsídio, preciso de nomes das construtoras da época, quem construiu os Palácios: do Planalto, Alvorada, Jaburu, Catetinho, Palácio do Congresso Nacional e outros prédios públicos construídos naquela época.
Se vc souber ou estiver ao seu alcance informar, ficar-lhe-ei muito grato.
E-Mail: tolentinoesilva@gmail.com